Flexibilidade nas empresas: 5 tipos para implementar

flexibilidade nas empresas

Flexibilidade nas empresas: 5 tipos para implementar

Veja no post de hoje como implementar 5 tipos de flexibilidade nas empresas e torne sua marca mais moderna.

 

Com o passar dos anos, as exigências do mercado foram mudando, tanto por parte dos clientes quanto dos parceiros e colaboradores.

Hoje, após um evento mundial que testou nossa capacidade de adaptação, a flexibilidade é um dos fatores mais importantes no mercado.

Ela é a responsável por ajudar as empresas a contornar situações que parecem sem solução ou até mesmo de resposta irredutível.

No post de hoje, você aprenderá como tornar sua empresa mais flexível.

 

Mas, antes, vamos entender o impacto da flexibilidade

Para os colaboradores, uma empresa flexível consegue se tornar um lugar melhor para trabalhar, gerando bem-estar, aumentando a produtividade, melhorando rotinas de trabalho e proporcionando mais qualidade de vida.

Há a sensação de maior liberdade, deixando os funcionários mais à vontade e, por isso, seu rendimento melhora, bem como os resultados.

Para os parceiros de trabalho, a flexibilidade ajuda a estabelecer condições e conexões favoráveis aos negócios de ambos.

Onde antes não era possível concordar em um contrato, com a flexibilidade, passa a ser.

Já para os clientes, um modelo de trabalho flexível melhora a satisfação, proporciona mais possibilidades de aquisição e facilita o relacionamento com a marca.

 

Como implementar a flexibilidade nas empresas?

1 – Horários

O primeiro e mais óbvio tópico quando falamos em flexibilidade é sempre sobre os horários de entrada e saída. Escalas com horário fixo estão cada vez mais ficando no passado.

Com carga horária flexível, você permite que seus colaboradores trabalhem em escalas diferenciadas, muitas vezes adaptadas às necessidades de cada um.

É possível, por exemplo, permitir que um colaborador trabalhe em home office, se as atividades que ele desenvolve não dependem dos demais.

Também é possível permitir que o colaborador saia mais cedo quando entrar mais cedo, ou faça duas horas de almoço, ao invés de uma, caso fique uma hora a mais no fim do expediente.

 

2 – Dias

A flexibilidade nas empresas vai além do dia corrente. É perfeitamente possível dar uma folga extra a um funcionário quando ele precisa resolver um assunto importante, em troca de horas extras em outros dias.

Também é possível trocar dias de folga dentro da escala com colegas de trabalho, se for do interesse de ambos.

Por fim, a empresa pode construir escalas baseadas nas preferências de cada colaborador.

Por exemplo, se um colaborador escolher folgar na segunda-feira devido a um compromisso que tem nesse dia semanalmente, a escala pode ser construída de forma a encaixar esse colaborador sempre na segunda-feira.

Obviamente, isso não será sempre possível, mas se for, pode elevar a satisfação do colaborador.

Uma outra forma de flexibilização por dia é permitir que seus parceiros de negócios entreguem o que foi solicitado em datas alternativas, mesmo que ocorra algum atraso, desde que isso não gere impacto direto na sua entrega para o cliente.

 

3 – Locais de trabalho

Outra forma de implementar a flexibilidade no trabalho é com o próprio ambiente de trabalho.

Se a sua empresa tem mais de uma unidade, você pode permitir que os colaboradores trabalhem em outras localidades em determinados momentos.

Digamos que sua empresa é um escritório onde todos os processos acontecem online.

Um dia, um de seus funcionários não conseguiu pegar um voo de volta e teve que passar a noite em um hotel.

Felizmente, você tem uma unidade da empresa lá. Nada impede que ele trabalhe lá durante esse dia e pegue outro voo ao fim do expediente.

Outra forma de implementar a flexibilidade nas empresas é permitindo que os colaboradores trabalhem em casa em determinados dias.

Você pode atribuir um dia da semana a cada um para ficarem em casa, trabalhando remotamente. Isso é ótimo para a satisfação dos funcionários.

Além disso, também pode flexibilizar os espaços dentro da sua empresa, com opções para os colaboradores trabalharem em pé quando cansarem de ficar sentados, posições de trabalho rotativas e possibilidade de trabalhar ao ar livre.

 

4 – Delegação de tarefas

Você também pode ser flexível na hora de atribuir tarefas à sua equipe. Para isso, basta conhecer um pouco melhor cada um.

Alguns colaboradores são exímios mestres em determinadas tarefas, enquanto não são tão bons com outras.

Partindo desse conceito, tente encaixar tarefas com as quais os colaboradores se sentem mais confortáveis.

Não será possível seguir esse padrão topa vez, ou você poderá sobrecarregar um colaborador e deixar outro ocioso.

Mas, sempre que for possível, fazer isso melhora os resultados, acelera a entrega para o cliente e aumenta a satisfação da sua equipe.

 

5 – Hierarquia horizontal

Que tal pensar de uma maneira mais moderna e trazer mais flexibilidade para sua empresa?

No momento da tomada de decisão, normalmente as empresas consideram somente a cúpula administrativa, onde ficam os diretores e gestores.

Entretanto, a sua equipe pode ter ótimas ideias e pontos de vista diferentes, já que eles provavelmente estão na linha de frente dos seus negócios.

Considere consultá-los para tomar decisões e até mesmo dar maior autonomia para que essas decisões sejam tomadas no dia a dia, sem necessidade de buscar orientação superior.

Isso acelera o ritmo de trabalho, permitindo a otimização de processos e até ajuda a economizar tempo na sua gestão.

Inclusive, se esse é um tópico interessante para você, aproveite para ler nosso artigo sobre como otimizar processos e economizar tempo nos negócios.

Se este texto foi útil para você, compartilhe!